Relações Internacionais

topo_cooperacao_dgrv

O projeto

A parceria institucional começou pelo setor das cooperativas agropecuárias do Rio Grande do Sul, Estado situado no extremo Sul do Brasil. Nele, as cerca de 160 cooperativas, que contam com aproximadamente 270 mil produtores rurais associados, desempenham um papel importante, sendo responsáveis por 50% do valor da produção agropecuária. Esta participação no mercado representa cerca de 50% no setor de laticínios 30% na vitivinicultura, 40% no setor de grãos e soja e 15% no de produção de carne.
Muitas cooperativas têm suas raízes na Europa, atingiram um nível de desenvolvimento relativamente alto e têm grande importância econômica para os produtores rurais. Além disso, caracterizam-se por seu forte engajamento social nos municípios em que atuam.
Tudo isso representa um bom ponto de partida para continuar aumentando a eficiência e o sucesso econômico das cooperativas: por exemplo, através de melhorias na gestão, pela capacitação e qualificação de recursos humanos e especialmente por meio de uma maior intercooperação, elas poderão prestar serviços ainda melhores para os associados e contribuir para explorar o potencial de crescimento do setor agropecuário.

Objetivos e áreas de atuação do Projeto

O objetivo da cooperação consiste em fortalecer as estruturas do cooperativismo no setor agropecuário do Rio Grande do Sul. O Sistema Cooperativo e de Aprendizagem do Cooperativismo amplia sua possibilidade de assessorar e atender as cooperativas agrícolas, de qualificar seus funcionários e de melhorar as estruturas existentes no setor.
Com isso, as cooperativas se tornam mais eficientes e conseguem, no longo prazo, oferecer serviços competitivos para as propriedades rurais a elas associadas. Assim, aumentam-se a produtividade, eficiência e sustentabilidade do setor agropecuário do Rio Grande do Sul.

Áreas de atuação importantes:

- Qualificação de técnicos e lideranças, bem como o desenvolvimento de recursos humanos de acordo com as necessidades reais;
– Melhoria das auditorias interna e externa e qualificação dos auditores;
– Fortalecimento da intercooperação entre as cooperativas no Rio Grande do Sul e
– Promoção de contatos e relações econômicas com organizações alemãs.

Parceiros e formas de cooperação do Projeto

O Projeto é executado por incumbência do Ministério de Alimentação, Agricultura e Defesa do Consumidor (BMELV) da Alemanha.
Os parceiros brasileiros são o SESCOOP/RS, Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo no Estado do Rio Grande do Sul, vinculado à  OCERGS, Organização das Cooperativas do estado; ambos fazem parte do sistema de cooperativismo do Brasil representado pela Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB).

Entre suas tarefas estão a formação e capacitação, monitoramento, prestação de consultoria e defesa dos interesses do setor. Também faz parte do Sistema a ESCOOP, 1ª Faculdade Tecnologia do Cooperativismo do País, localizada em Porto Alegre.
O parceiro alemão é a DGRV – Deutscher Genos-senschafts- und Raiffeisenverband, que é a confederação das cooperativas e entidades de auditoria do sistema de cooperativismo alemão. No Projeto, a DGRV pode contar com o know-how de especialistas de instituições e organizações das cooperativas e dos centros de formação como, p. ex., a Academia das Cooperativas Alemãs.
Em decorrência do Projeto, já foram firmados acordos de cooperação com organizações alemãs – p.ex. nas áreas de laticínios e fontes alternativas de energia.