Revista Rio Grande Cooperativa Ed. 14

REVISTA RIO GRANDE COOPERATIVO – 14ª EDIÇÃO

A sucessão familiar no campo é um desafio que mobiliza estudos de especialistas que tratam do assunto. A RG Coop convida você para uma reflexão sobre este assunto. Qual a importância da família na continuidade da transferência de patrimônios e como a relação entre pais e filhos pode interferir no processo de sucessão familiar?

Família em primeiro lugar. É uma das variáveis mais importantes para a felicidade e o bem-estar das pessoas, por isso o sentimento de confiança deve ser desenvolvido e incentivado no âmbito familiar, através do diálogo aberto e sincero entre pais e filhos. O grande difusor entre o sucesso e o fracasso da sucessão familiar consiste exatamente na capacidade de envolvimento e integração da família. Pensar no futuro envolve pais e filhos, e decisões unilaterais costumam resultar em brigas e rupturas traumáticas.

Atualmente 90% dos negócios brasileiros são familiares, o que reforça a necessidade de um planejamento de sucessão familiar para a sobrevivência do negócio. E isso nem sempre é fácil, pois as novas gerações muitas vezes são atraídas por outros ideais profissionais e pessoais.

E se o campo oferecer uma oportunidade diferenciada para esses jovens, com ferramentas modernas de gestão e empreendedorismo cooperativo? Essa é a proposta do Programa Aprendiz Cooperativo do Campo, desenvolvido pelo Sescoop/RS, que estimula a permanência dessas novas gerações no campo e visa promover a sucessão familiar profissionalizada. Mais do que uma alternativa de formação profissional, o programa demonstra preocupação com um tema muito importante: a sucessão familiar rural.

Cada vez mais a tecnologia no campo avança em passos largos, com GPS agrícola, robótica, Internet das Coisas (IoT), sensores e drones. A população mundial está em constante crescimento. Estimativas sugerem que em 2050 nós seremos quase 10 bilhões de pessoas no mundo. De acordo com a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico, a oferta de alimentos no mundo precisa crescer 20% nos próximos dez anos para que não haja fome, e para que isso aconteça é necessário que a capacidade de crescimento do Brasil seja de 41%.

Os números podem ser alarmantes e desafiadores. Por outro lado, abre-se uma grande oportunidade para o futuro do Planeta. Buscar fontes de alimentos que consigam nutrir toda essa população é um dos desafios do século XXI e a sucessão familiar rural precisa ser levada a sério. Os avanços da tecnologia no campo e o aumento da qualidade de vida e bem-estar no interior mostram para as novas gerações que a felicidade pode estar muito mais próxima do que imaginam.

Confira as novidades da nova Rio Grande Cooperativo!